quarta-feira, 23 de maio de 2012

O Bem , Sem Olhar A Quem


10-O Bem, Sem Olhar a Quem!

* Referência: Capítulos do Livro Seara dos Médiuns – Chico Xavier/Emmanuel (FEB). 
Objetivo: estudo de questões do Livro dos Médiuns (LM) de Allan Kardec. 
Roteiro: Meditação – Leitura da Questão – Curiosidades.
(Meditação sobre o capítulo 10-Em Tarefa Espírita)
Reunião pública de 5-2-60
Questão LM no. 30
Lamennais
No último texto do capítulo XI do Evangelho Segundo o Espiritismo, o espírito Lamennais responde a Kardec uma pergunta muito difícil: deve alguém arriscar sua vida para salvar um malfeitor ?
Para esta meditação, iremos com Emmanuel nos lembrar um pouco dos companheiros, dos irmãos de travessia, das almas que atuaram nas páginas do Evangelho de Jesus.
Eles tinham em comum uma grande falta de compreensão das idéias do Mestre.
Numa época onde a força bruta determinava a maior parte do direito individual e das nações, há quem alegue que o grande sacrifício do Nazareno Mestre teria sido não a crucificação, mas antes dividir seus passos e seu tempo com consciências e corações ainda tão embrutecidos.
Caminhando adiante do vulgo, Ele aceita as constantes exigências dos curiosos, dos  doentes e aflitos.
Reúne colaboradores sem lhes exigir virtudes expoentes ou completas. E, pacientemente, atravessa as adversidades do caminho.
Aceita o batismo de João, mesmo percebendo suas dúvidas.
Esclarece Nicodemos na ignorância, reconhece Natanael em sua incredulidade, acolhe Tomé na comprovação.
Entre Caifás, Antipas e Pilatos, o Mestre ora silencia, ora responde dentro da compreensão de cada um.
A Pedro,  pusilânime na noite derradeira, confia seu rebanho. Para Judas, dementado pela traição, mergulha na escuridão e acolhe o amigo torturado.

Apesar de tudo, Ele passa, sozinho e imperturbável, como sendo o amor não-amado, ensinando e ajudando sempre”.
***
Da mesma forma, na casa a qual abraçamos para nosso trabalho, encontraremos oportunidades de auxílio e aprendizado em quase todos os companheiros.
Os necessitados que esperam o alimento material…
Os aturdidos, que rogam alívio, consolo e entendimento …
Os que não compreendem nosso ideal, que complicam nossos passos e desafiam nossa calma…
Os que nos criam dificuldades e ferem nosso coração…
Assim como Jesus veio para os doentes e desorientados, nossa mão estendida não deve amparar apenas aos gratos, bondosos ou amigos, mas a todos que dela precisar.
E devolvendo ao mundo as bênçãos que o mundo já nos proporcionou, vamos levar nosso roteiro de conduta aos transviados; levar nosso equilíbrio aos perturbados; levar nossa firmeza aos que caem; levar o pouco de luz que já entesouramos a quem se debate nas trevas.
Em cada gesto, estaremos reconstruindo nosso amor perante a eternidade.

Lamennais nos lembra que o devotamento é cego. E nos exorta: Socorrei-o, porquanto, salvando-o, obedeceis a essa voz do coração, que vos diz: “Podes salvá-lo, salva-o!”
Desse modo, não te faças distraído quanto à orientação que nos é comum, porquanto o espírita verdadeiro, diante do mal, é invariavelmente chamado a fazer o bem”.

Blog Estudando Chico Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário